Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 05/08/2011 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

Trotar, soltar, giro leve – Treinar leve para compensar

Adalberto e Betão, atletas Zonaalvo, treinam leve quando é preciso.

Por Nilson Duarte Monteiro

 Eu diria que é 100% a importância dos treinos leves. Quanto à intensidade, ela varia de atleta para atleta.

 A importância dos treinos leves se deve à recuperação de todo do atleta. Então, vejamos. Começamos a praticar esporte para nos rejuvenescer, ou seja, todo mundo que pratica esporte tem o ar mais saudável, parece que remoçou em relação à outra pessoa da mesma idade que é sedentária. Mas, se os exercícios são praticados de forma intensiva o sujeito em vez de parecer rejuvenescido, vai parecer envelhecido, pois vai ter a aparência de cansado, é aí que entra os treinos leves para recuperar o sujeito e voltar àquele ar de jovialidade, pois o treino intensivo desgasta, tanto física, como mental, aí aquela aparência cansada. Vocês já notaram que todo atleta de alta performance aparenta ser mais velho do que é. Se vocês observarem, 99% dos atletas de alta performance depois que param com o esporte, rejuvenescem, ou seja, aparentam ser mais novo do que é. Lógico, o cara tem que continuar a praticar esporte recreativo para não engordar, pois conheço muitos que pararam, mas não fizeram mais nada, só aparentaram jovialidade nos primeiros meses após pararem, depois começaram a engordar e ficaram parecendo mais velhos do que eram. O esporte de alta performance é uma faca de dois gumes. Quando está atleta, o cara parece mais velho devido ao esforço desprendido, e quando para e não continua a se exercitar, continua parecendo mais velho. Então, o remédio para se manter jovem, saudável, é praticar exercícios de forma racional.

Já a intensidade desses treinos leves depende de cada um. Um treino leve do Marilson Gomes dos Santos (campeão da Maratona de New York) é extremamente forte pra mim, ou melhor, eu estaria a 100% do meu esforço, enquanto que para ele seria menos de 50% do esforço. Resumindo, o cara roda uma maratona em 3 minutos por quilômetro, enquanto que eu a 100% do esforço rodo 10km em 5 minutos por quilômetro. Uma vez, estava conversando com um colega e disse a ele que eu só conseguiria acompanhar o Marilson correndo 42km, por apenas 400m e caíria totalmente esgotado após esses mesmo 400m, e ele iria embora, terminar os 42km, enquanto que eu estaria sendo atendido num centro médico móvel…Ah! Com um detalhe, perderia. 

A intensidade de um treino leve deve ser de no máximo 60% do esforço máximo, ou seja, quem trabalha baseado na FCMáx, deve realizar esses treinos a 60% no máximo. Já a freqüência desses treinos, vai depender da sua periodização. Uns o realizam a cada 24 horas, outros mais. Por isso que o atleta, de alta performance, tem que ter um acompanhamento multidisciplinar full time. Enquanto que com o atleta amador, esse acompanhamento pode ser mais espaçado, tipo três vezes por semana. O interessante é saber conhecer o próprio corpo, atentar para os sinais que nos dá. Um músculo se comunica com você doendo, como quem diz “pô mermão, segura a onda se não eu vou estourar e tu vais ficar dias sem correr”.

Fonte: Copacabanarunners

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin