Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 28/01/2008 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

Prática da corrida em esteira

208570_2027872938453_1292962114_32454972_5878657_n

Por Rafael Leitão

Falta de tempo, agenda atribulada, chuva, frio. Existem vários empecilhos que podem fazer com que seu treino seja adiado, é nesta hora que temos a esteira como aliada, oferecendo comodidade e segurança quando usada adequadamente. É muito recomendada para quem está iniciando no esporte, ou para quem está retornando de lesão, pois proporciona um ambiente seguro e controlado, além de oferecer menos impacto que a rua, que pode variar em até 30% dependendo do equipamento utilizado.
Segundo alguns especialistas, a adaptação muscular da corrida feita na esteira se torna mais suave do que na rua. Uma pessoa que está começando a treinar na rua ficaria de três a quatro semanas entre caminhadas e trotes leves para obter uma adaptação neuromuscular antes de correr efetivamente, na esteira duas semanas são suficientes.
O treinamento em esteira nos possibilita ter total controle do que está acontecendo durante o treino, como gasto calórico, freqüência cardíaca, velocidade e inclinação. Num treino intervalado ou fartlek onde você corre 2 minutos forte e 2 fracos, por exemplo, você pode estar controlando a distância, sabendo exatamente que distância percorreu em cada intervalo, podendo assim verificar se está conseguindo manter o esforço proposto.
Além de ter total controle sobre o treino, outra vantagem que a esteira proporciona é em relação ao ritmo, uma vez que podemos achar o ritmo certo para cada distância e nos mantermos nele. A esteira nos dá essa noção e manutenção de ritmo, pois nos informa a todo o momento o que está acontecendo. Outro fator importante é em relação ao piso, pois na esteira não se encontram irregularidades e com o amortecimento do equipamento, fica mais difícil de se machucar.
Correr na rua é diferente de correr na esteira em muitos aspectos, o principal deles é que na rua precisamos empurrar o chão para vencer a inércia e a resistência do ar e mover nosso corpo para frente, enquanto na esteira o tapete move-se sob nossos pés, e tudo que temos de fazer é nos manter no centro da esteira. Com isso a intensidade e a aplicação da força são maiores na rua do que na esteira.
DIFERENÇA ENTRE CORRER NA ESTEIRA E NA RUA
RUA
Centro de gravidade: as pernas criam forças propulsivas que aceleram o centro e o movem para frente. O centro de gravidade é deslocado a cada passada, enquanto a perna esta indo para frente para impulsionar o centro novamente.
Resistência do vento: representa um esforço em ate 10% maior.
Músculos: tem a função de criar forças propulsoras, trabalha mais a musculatura posterior da coxa do que a corrida na esteira. Já que é preciso empurrar o chão para baixo e para trás.
Ritmo: oscila de acordo com a inclinação das ruas e o cansaço do corredor.
Consumo de oxigênio: ate 10% maior do que na esteira, graças à resistência do ar e o maior trabalho muscular.
Apoio: o pé de apoio desloca-se mais rápido do chão.
Passadas: são mais curtas.
ESTEIRA
Centro de gravidade: fica estático, levando a perna para trás. Para manter a estabilidade o corredor move a perna de apoio para frente do centro de gravidade.
Resistência do vento: não há.
Músculos: sua função é reposicionar as pernas pata frente e manter o centro estável. Trabalha mais o quadríceps, que puxa a perna para gente.
Ritmo: constante, ditado pela esteira.
Consumo de oxigênio: menor do que correr na rua no mesmo ritmo.
Apoio: o tempo que a perna de apoio fica no chão é maior do que na rua.
Passadas: são mais longas.
Chega de preguiça e desculpa comece a treinar hoje mesmo, na esteira ou na rua, pois as duas formas de treino ajudam no desenvolvimento da corrida e de sua saúde.
Bons treinos!

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin