Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 08/05/2008 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

Dicas importantes para a sua aventura

montanhista e documentarista Márcio Bortolusso, colunista do ativo.com, dá dicas de como se preparar para a prática de atividades físicas ao ar livre, com roupas e equipamentos adequados

Ao comprar roupa, o ideal é experimentar antes, fazendo testes que simulem ao máximo a sua atividade (caminhada, corrida, pedalada…). Se possível, compre com o máximo de antecedência e use a roupa antes da viagem, para amaciar ou descartar surpresas em sua sonhada aventura.

Se não comprometer a durabilidade ou o desempenho do produto, prefira roupas leves. Melhor ainda se a roupa for versátil, podendo ser usada em outras situações. Mas fique muito atento ao seu uso, existem roupas técnicas desenhadas para atividades esportivas (ou profissionais) e modelos casuais voltados ao público fashion da Aventura (com mais visual do que funcionalidade), cada quais com cortes e recursos próprios. Algumas pessoas até podem tirar uma onda com uma roupa de alpinista em Campos de Jordão, mas com certeza iriam sofrer se fossem praticar alguma atividade técnica com peças produzidas por marcas “estilo aventura”.

– O que levar: O ideal é levar somente o que for realmente necessário, com maior ou menor quantidade de “reservas” de acordo com a atividade. Talvez não tenha problema levar uma blusa a mais em uma viagem de carro para Monte Verde, mas com certeza qualquer roupa excedente em uma expedição a remo no Amazonas pode lhe causar inconvenientes. Leve apenas uma muda de roupa reserva para eventual emergência: mudanças climáticas repentinas, um escorregão molhando a sua única meia, etc;

– Kit Reparos: Em atividades extremas, com caráter exploratório, ao invés de roupas reservas (leia peso e volume) recomendo levar apenas o necessário e um kit reparos para imprevistos (fita tipo silver tape, fio dental e agulha, canivete, etc). Garanto, ninguém vai reparar no seu traseiro remendado;

– Informe-se: Tenha o maior número de infos sobre a atividade que vai praticar para determinar o que vai precisar: atividade leve ou pesada (quanto mais roupas, mais peso terá que carregar); aventura seca ou molhada (travessias de rios pedem roupas de secagem rápida, por exemplo); terreno acidentado ou tranqüilo (certas escalaminhadas exigem roupas que resistam bem ao atrito); época do ano (dependendo do mês e região, ocorrem mais ou menos chuvas, frio ou calor… ver a previsão do tempo na prévia da viagem não é má idéia), etc. Inclusive, quanto mais conhecimento adquirir, mais prazerosas e seguras se tornarão suas aventuras: converse com outros praticantes e lojistas, leia as publicações sobre a sua atividade favorita, etc;

– Não gaste, invista: Lembrete importante para não jogar dinheiro fora, assim como chamam toda palha de aço de Bom-Bril, é preciso alertar os praticantes que nem toda blusa térmica é Polartec e nem todo impermeável é Gore-Tex (como muitos confundem ou são enganados por vendedores sem escrúpulos). Pesquise no site dos fabricantes ou converse com o vendedor de sua confiança sobre as vantagens e desvantagens de cada marca e/ou tecnologia. Fique esperto, pois as diferenças são enormes, principalmente para os que consideram cada novo equipo como um ótimo investimento;

– Para maior conforto: Experimente roupas com costuras planas, como as com tecnologia Flat Seam, mais confortáveis e que permitem maior liberdade de movimentos;

– Aprenda com suas experiências: Com base em outras viagens, relembre roupas que foram reutilizadas, o que foi desnecessário, o que funcionou bem, etc;

– Cores e Fator de Proteção UV: Ao contrário do que muitos pensam, roupas escuras absorvem mais calor, no entanto protegem mais a pele da radiação UV. As claras são mais frescas, mas protegem menos e, inclusive, desviam os raios solares para o rosto, que acaba recebendo o dobro de radiação desta forma. O ideal são peças de poliéster, que transpiram e não esquentam, ou roupas com Fator de Proteção Ultravioleta, algumas tratadas com as mesmas substâncias dos cosméticos. Roupas coloridas facilitam um possível resgate em atividades de risco e tons neutros reduzem o impacto visual em áreas muito freqüentadas;

– Ao escolher uma Camada Protetora (jaqueta, anorak, etc): Lembre-se, ela deve ser um pouco maior que as camadas internas, para manter seu conforto e não prender seus movimentos, se estendendo um pouco abaixo dos quadris (com ajustes de pressão na cintura, tipo velcro, elástico, etc); deve permitir acesso aos bolsos mesmo com luvas; as mangas devem cobrir os punhos e ter reguladores (elástico, velcro, etc); os melhores zíperes são bem isolados e possuem dentes grandes, que os tornam mais resistentes; o ideal é que tenha um capuz grande o suficiente para cobrir um capacete e viseira para proteger o seu rosto da chuva; sem esquecer que testes provaram que uma simples gola pode acrescentar até 3º C à termicidade obtida de uma blusa.

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin