Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 09/06/2011 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

“Hoje tem tiros. Oba!”

O objetivo dos treinos intervalados para todas as distâncias

Por Breno Leal

Não! Não estamos fazendo uma apologia à violência. Os “tiros” são nada mais que as séries de repetição de distância/tempo utilizados em treinamentos físicos de qualquer modalidade esportiva. Na gíria dos praticantes de esportes como natação, corrida, ciclismo entre outros, foi adotado esse nome: Tiro. Vamos esclarecer um pouco por qual razão esse tipo de treino é utilizado.

De acordo com o intervalo de descanso, as séries podem ter objetivos variados. Ou seja, nem só de tiros fortes vive o exercício. Há as séries que são feitas com 70-90% do melhor tempo. Nesses treinos, a melhora no “pace” acontecerá muito mais por causa da conservação de energia e o aprendizado em saber segurar um ritmo confiável.

Além de manter a concentração nessa manutenção de um ritmo. Por exemplo, compare um treino onde é marcado que se faça 3 repetições de 1.ooo metros  com um que seja os 3.000 metros direto, sem intervalo de descanso. Aonde você terá mais controle do ritmo que está empregando? A segmentação da distância irá promover maior consciência do que você pode fazer e, também, como usar nas provas uma nova estratégia.

Lembre, claro, que os treinos intervalados não substituem integralmente os treinos contínuos e nem o contrário. O que procuramos é fazer treinos variados que sempre tragam benefícios tanto na performance como na própria qualidade de vida, uma vez que a repetição de um mesmo treino por muito tempo pode acabar sem trazer mais as melhoras que faziam, pois o organismo estará habituado com aquele estímulo sempre igual.

Há também os treinos com alta intensidade, que são tão importantes quanto os que tem grande volume para os atletas de longa distâncias. E, dependendo do período do ciclo de treinamento, são ainda mais importantes que os treinos longos.

A principal meta de um treino com velocidade alta é a de provocar uma melhora no ritmo de prova. Isso é baseado no fato d0 atleta causar sempre um novo estímulo a cada treino. Para que o corpo tenha estrutura de suportar o estímulo de uma prova, ele precisa passar por uma simulação do ritmo dela ou até mais forte que o ritmo programado.

Quando se quer uma melhora, o jeito é fazer com que o ritmo deste tipo de treino seja maior que a última corrida. Como a simulação da intensidade é maior que o último desempenho, é provável que a fadiga venha a acontecer antes da distância da prova ser completada. Para isso, é preciso segmentar a distância e intervalar (e, em muitos casos, até diminuí-la – ex.: 5x 1.000 para um corredor de 10km), para que possa ter a recuperação e a confiança de colocar essa nova intensidade, acima do que antes era alcançado.

De acordo com esse estímulo, durante o repouso, o corpo vai começar a se reorganizar para que consiga se sustentar, caso ocorra outro estímulo semelhante. É a adaptação e reestruturação do nosso organismo. Treinando o corpo a velocidades acima do ritmo de prova e tendo uma recuperação bem feita fará com que o resultado seja alcançado de forma natural.

Recuperação: um treino de alta intensidade pode levar de dois a três dias para a recuperação e um treino de tiros com intensidade leva de um a dois dias, para isso é bom intercalar com um dia off e/ou um de dia de treino leve. Assim como os intervalos entre as séries, os dias de recuperação são muito importantes para essa adaptação. Respeitando o objetivo do dia e da semana, você correrá também menos riscos de provocar alguma lesão relacionada à fadiga do exercício e à biomecânica da corrida.

Portanto, sempre que houver treinos intervalados, os tiros, veja como um treino produtivo e tente fazer as metas deles.

Zonaalvo nas 10 milhas noturnas.

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin