Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 01/10/2007 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

Energia com suplementos

Como as barras de cereais e de proteínas ou os géis de carboidrato podem manter o seu pique durante provas e treinos

Por Daniel Balsa

Quem pedala constantemente ou pratica qualquer outra atividade física precisa ter energia para superar seus desafios e atingir suas metas, sejam elas traçadas em treinos ou em provas. Um bom condicionamento físico é essencial, assim com uma alimentação apropriada para tais metas. O carboidrato, por exemplo, é vital para a dieta do ciclista. “Trata-se do substrato energético utilizado, principalmente, no inicio da atividade física e, em menor escala, durante os treinos. A falta deste nutriente pode acarretar em danos, como a diminuição do estoque de glicogênio, quadro de hipoglicemia, fadiga e perda de massa muscular. E ainda pode criar um ambiente propício para a ocorrência de cãibras e inflamações”, disse a nutricionista Fernanda Brunacci della Rosa.

O gel de carboidrato e a barra de proteína são indicados como complementação energética quando há a necessidade de reposição durante um treino ou uma competição, diferentemente das barras de cereais, que tem a ingestão indicada para somente antes e depois da atividade física.

Este alimento é uma fonte de carboidrato e também de fibras. Quem for consumi-la antes de uma prova ou treino deve ficar atento à quantidade de fibras em sua composição, pois este elemento estimula o funcionamento intestinal.

Outra recomendação para quem for comer uma barra de cereal antes do treinamento é a de evitar as que são elaboradas com flocos de arroz, pois este é um ingrediente com alto índice glicêmico e o ideal para este tipo de situação são as que apresentam níveis menores – baixos ou médios.

“Recomendo sua ingestão entre 40 e 50 minutos antes ou também logo após pedalar, para ajudar na recuperação, repondo os estoques de glicogênio. A barra de cereal é contra-indicada durante uma prova por sua demora na digestão e por sua fermentação gástrica”, apontou a nutricionista Gláucia Figueiredo Braggion.

Durante uma prova, o gel de carboidrato é uma boa opção para reposição energética. Este alimento é de rápida absorção – que é potencializada se o gel for ingerido juntamente ou um pouco antes da hidratação.

“O gel de carboidrato deve ser administrado tanto em provas de alta intensidade quanto naquelas de longa duração. Nestes casos, o ciclista deve ingerir cerca de 30 e 60g deste gel por hora, em valor que varia de pessoa para pessoa”, disse Fernanda.

Já a barra de proteína é uma excelente fonte protéica, com um pouco de carboidrato em sua composição e nada de fibras.

“Uma pessoa comum necessita de 0,8g de proteína por quilo, taxa que é mais elevada para quem pratica atividade física regularmente. Uma barra de proteína fornece entre 13 e 17g, de acordo com o fabricante. Durante o dia-a-dia, é indicado seu consumo após um treino”, afirmou a a nutricionista.

Para a especialista Gláucia, além da ingestão da barra para recuperação após a atividade, ela é indicada como reposição durante uma prova mais longa.

“Antes de 1h30min de prova, dificilmente o competidor irá sentir necessidade de repor proteínas, já que ele não perderá tanto. No caso do carboidrato, tudo bem. Mas a partir deste tempo, passa a ser indicado o consumo da barra de proteína”, encerrou Gláucia.

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin