Esqueceu a senha? Sistema antigo
expand Área do Aluno


Publicado em 18/09/2007 por Zonaalvo Assessoria Esportiva

Como evoluir nos treinamentos esportivos e nas corridas?

Praticamente tudo na vida sofre evolução, nos treinamentos físicos esportivos também não é diferente. O ideal é subir degrau por degrau, pular vários degraus de uma vez pode ser o primeiro passo para as contusões, lesões e fim de carreira.

Comece devagar, pode ser até caminhando, isso é comum entre a maioria dos corredores hoje experientes. Muitos começaram caminhando quando criança para escola, depois correndo de casa para o trabalho, participando de provas de rua amadoras de 5 km, depois de 10, 15, 21 km, muitos até se tornam maratonistas correndo 42 km, sendo assim foram se adaptando, se condicionando, ganhando resistência e aumentando o seu ritmo, velocidade e depois a distância.

Exemplificando: um corredor que perfaz uma prova de 5 km, na maioria dos casos conseguiria percorrer 10 km, mas é melhor estar devidamente preparado para o inusitado, ou seja, antes dos 10km, e melhor você treinar e correr primeiro os 6, depois os 7, 8 e os 9 km, ai sim, melhor adaptado, encarar os 10 km.

Lembre-se sempre! Devemos subir degrau por degrau, é humanamente impossível para um sedentário que nunca correu antes assistir a uma prova de maratona na televisão, empolgar-se e tentar percorrer os 42 km sem a devida condição e treinamento físico. O despreparo é sempre o fator principal quando não se consegue atingir os objetivos almejados, contudo, ninguém nasce sabendo, escrevendo, lendo e também correndo, tudo é aprendido por etapas.

Como evoluir nos treinamentos físicos esportivos, e nas corridas de longa e curta duração?

Temos que controlar as variáveis tempo, distância, velocidade, ritmo, freqüência, intensidade, cadência, cargas, séries, repetições, volume, etc, tanto nos treinamentos aeróbios e anaeróbios, sempre de forma adaptativa e evolutiva, objetivando a progressão do praticante.

Uma causa limitante, naturalmente, da evolução nos treinamentos físicos pode ser a influência genética. Por exemplo, se você tem o biotipo de um individuo mesomorfo (característica de predominância corporal de músculos e força) e se interessar por provas de longa duração, de resistência, infelizmente, empírica e cientificamente é comprovado que essa estrutura física não é a ideal para esse tipo de corrida, em contrapartida esses indivíduos se adaptam melhor nas provas de velocidade (de curta duração).

Ao contrário, os indivíduos ectomorfos (magros e leves), são os principais campeões das corridas de longa. É incomum (mas não impossível) encontrar indivíduos muito fortes com bons resultados profissionais nas corridas de longa distância, assim como os indivíduos magros e leves nas provas de curta duração.

Então procure sempre adaptar sua herança genética e o seu biótipo às modalidades e provas de sua predileção, para poder tirar vantagem disso, e sempre respeitar os seus limites físicos!

Bons treinos a todos e mantenham-se ativos!

Fabio Bernardo, que assina esta coluna, é Personal Trainer, Técnico de Educação Física da SEME Consultor de Esportes, Saúde, Fitness e Wellness. É Pós-graduado em Fisiologia do Exercício e Treinamento Resistido pela Faculdade de Medicina da USP. Site: www.biodelta.com.br. E-mail: fabiobernardo@gmail.com

Compartilhe

Deixe o seu comentário

Highslide for Wordpress Plugin